quinta-feira, 16 de maio de 2019

Ex-protestante será ordenado sacerdote e agradece EWTN pela sua conversão

Ex-protestante será ordenado sacerdote e agradece EWTN pela sua conversão
Por Mary Rezac

FONTE: https://www.acidigital.com/noticias/ex-protestante-sera-ordenado-sacerdote-e-agradece-ewtn-pela-sua-conversao-30216

 
O diácono Drake McCallister, sua família e Dom Jeffrey Montforton
Crédito: Foto de cortesia

Steubenville, 15 Mai. 19 / 02:30 pm (ACI).- O diácono Drake McCalister, ex-pregador pentecostal, agradeceu a maior rede de televisão católica do mundo, EWTN, assim como sua fundadora, Madre Angélica, por serem imprescindíveis em sua conversão à Igreja Católica e em sua próxima ordenação sacerdotal.

Drake, de 50 anos, casado e pai de cinco filhos, será ordenado sacerdote em 21 de junho de 2019, após quase 10 anos de preparação; quando a idade média de ordenação sacerdotal nos Estados Unidos é 33 anos.

O diácono recebeu uma dispensa de seu bispo, Dom Jeffrey Marc Monforton, da Diocese de Steubenville (Ohio), para ser ordenado sem a obrigação de ser solteiro e de viver o celibato. Casos como este são raros e acontecem com a análise rigorosa do clero, sob certas circunstâncias, como quando alguém, que anteriormente era um ministro anglicano ou episcopal, converte-se ao catolicismo e deseja ser sacerdote.

Em entrevista à CNA - agência em inglês do Grupo ACI - Drake assegurou que Jesus o chamou ao sacerdócio e que esta "não é a primeira vez que pede a ele para fazer algo radical".

Há vinte anos, o diácono era um jovem pentecostal que pedia a orientação de Deus através da oração constante. Naquela época, sentiu o chamado de Deus para dedicar sua vida e começou a se preparar na denominação protestante.

Drake se casou, teve filhos, formou-se em teologia e iniciou um período de 13 anos como ministro pentecostal.

No entanto, em 1999, sentiu-se atraído pela Igreja Católica através do programa Catholic Answers Live da EWTN.

"(Minha conversão) começou através da rádio EWTN, que era minha principal fonte de informação sobre a Igreja Católica, eu realmente não conhecia nenhum católico. Não estava de acordo com toda a teologia, mas os apresentadores eram criativos, evangelizadores, estavam centrados em Cristo, conheciam a sua Bíblia. Nunca tinha encontrado com um católico que tivesse todas estas qualidades”, contou Drake.

O então pastor pentecostal decidiu continuar escutando o programa, não "pelo conteúdo", mas "para descobrir se eram os dois únicos católicos entusiasmados na face da terra".

"Quanto mais escutava, mais eu me sentia atraído pela Igreja Católica. Comecei a fazer minha própria pesquisa, lendo documentos da Igreja, dos Padres da Igreja e dos Papas e Santos".

"Estava menos interessado no que as pessoas tinham a dizer sobre o catolicismo do que o que o catolicismo dizia sobre si mesmo em documentos oficiais e na história da Igreja", contou.

Depois de estudar por cinco anos e conversar seriamente com sua esposa, o casal decidiu ser batizado na Igreja Católica junto com seus filhos em 2004. Drake também atribuiu a sua conversão à Madre Angélica, por ela ter fundado a EWTN.

Pouco depois, mudaram-se para Steubenville, Ohio, e Drake se formou em teologia e catequese pela Universidade Franciscana, onde agora trabalha como coordenador de práticas catequéticas.

Foi somente em 2010 que o pai da família considerou tornar-se membro do clero, quando sua diocese iniciou o primeiro programa de diaconato para diáconos permanentes.

"Quero servir as pessoas da minha paróquia, assim, quando se apresentou a oportunidade de fazer o diaconato, eu me apresentei. Pensei: 'Isso é genial, posso fazê-lo sendo um homem casado'”, explicou.

No entanto, depois afirmou que o Espírito Santo o chamava para fazer algo a mais: "Encorajava-me a dizer que precisava fazer a pergunta se era qualificado para a dispensa do requisito do celibato e assim ter acesso ao sacerdócio”.

Drake explicou que "tais solicitações são consideradas caso a caso".

Mais tarde, quando seu bispo confirmou que uma dispensa poderia ser possível em seu caso, começou seriamente a considerar o sacerdócio e assegurou ao diretor de seu programa de diaconato que seu "único desejo é ser obediente a Jesus Cristo".

"Por isso que deixei tudo”, para “entrar na Igreja Católica, foi o meu amor por Jesus Cristo, e o Senhor está abrindo essa porta e colocando isso no meu coração. Eu não preciso ser um sacerdote como se estivesse cumprindo algum tipo de desejo pessoal, meu desejo é simplesmente ser obediente", contou Drake.

Durante o processo, enquanto recebia a permissão da Santa Sé, orava e discernia, passaram aproximadamente 10 anos de preparação para ser ordenado.

Drake acredita que sua história única e sua história vocacional servirão para ele como futuro sacerdote.

"Eu vejo a vida, o ministério e a Igreja de uma forma diferente, porque tive que lutar com diversas coisas para entrar na Igreja. Uma das formas em que se diferencia é o meu desejo de evangelizar e de alcançar as pessoas nas periferias”, explicou.

Em relação a ser um homem casado, não sabe exatamente como isso afetará o seu ministério, mas planeja aproveitar a vida familiar em suas homilias. Não é comum que os sacerdotes latinos sejam casados, disse, embora tenha observado que outros ritos dentro da Igreja Católica o permitam segundo determinadas circunstâncias.

"Não sou um ativista. Ou seja, eu não estou aqui para defender o fim do celibato no sacerdócio... Eu estou aqui para servir a Cristo e levar as pessoas a Jesus", afirmou.

Quando perguntado sobre o que mais o emociona em seu sacerdócio, Drake respondeu: "Posso dizer tudo? A Missa e a missão. A vida no espírito e a participação na missão, essas são as duas coisas que me interessam e pelas quais estou animado".

VIDEO ABAIXO com testemunho (Legendas ainda em produção)

sexta-feira, 15 de março de 2019

Scott Hahn - Blasfêmias no café da manhã

Scott Hahn - Blasfêmias no café da manhã

SCOTT HAHN NÃO precisa mais de apresentações, certo? É aquele ex-pastor protestante que se converteu em fervoroso católico mediante o estudo realmente aprofundado das Sagradas Escrituras e hoje é uma das maiores autoridades mundias em Bibliologia. Ele narra a história de sua conversão (e a de sua esposa também protestante) em um livro obrigatório intitulado "Todos os caminhos levam à Roma – O nosso percurso até o catolicismo" (Diel/Cléofas).

Neste divertido vídeo, ele aborda seu debate com um apologeta muçulmano sobre a Trindade. Legendado pelo apostolado "Apologética e Traduções". Imperdível:


Fontes:
https://www.ofielcatolico.com.br/2019/03/scott-hahn-blasfemias-no-cafe-da-manha.html
Video: https://www.youtube.com/watch?v=BfieRcxWzy0

domingo, 13 de janeiro de 2019

Um pastor protestante, sua família e alguns seguidores se convertem ao catolicismo

Um pastor protestante, sua família e alguns seguidores se convertem ao catolicismo


ARIZONA, 17 Jun. 17 / 06:00 am (ACI).- Um pastor pentecostal, sua família e um grupo de fiéis deixaram a Igreja evangélica Assembleia de Deus do estado Arizona, nos Estados Unidos, e se converteram ao catolicismo no seio da Igreja Católica de rito bizantino.

Esta última é uma das 24 igrejas “sui iuris” que formam a Igreja Católica, ou seja, que embora sejam autônomas em relação ao rito e disciplina, não o são quanto aos dogmas de fé e sua obediência ao Vigário de Cristo, o Papa. Em outras palavras, estão em plena comunhão com a Igreja.

O ‘National Catholic Register’ narrou a história do pastor Joshua Mangels, que sentiu em seu coração o desejo de pertencer à Igreja Católica, renunciou ao seu cargo na igreja em setembro de 2016 e, um mês depois, entrou no catecumenato em uma paróquia católica bizantina da cidade de Tucson, acompanhado de sua família e vários de seus seguidores.

O pastor comentou que, embora o seu ministério na igreja pentecostal o encantasse, em um momento começou a se sentir “frustrado pelos vaivéns da doutrina, as modas e pressões da comercialização da igreja”.

Em seguida, ao regressar para casa depois de uma conferência de pastores decepcionante, começou a escutar um apostolado católico que um amigo lhe tinha indicado. A pregação era sobre os pecados mortais, disse Mangels, e, embora não soubesse que o orador era católico, ficou impressionado.

“Era como um gole de água fresca. Escutei isso durante duas horas e meio enquanto voltava para casa e, quando cheguei, minha esposa me perguntou que tinha sido a conferência e lhe disse: ‘foi terrível, mas tem que ouvir isso’”, recordou.

Entre as coisas que escutou do pregador católico, havia informação sobre os Padres de Igreja e parte de sua história que não havia escutado antes.

Tempos depois, Mangels começou a olhar para outros pastores da Assembleia de Deus que tinham ingressado na Igreja Católica e explorado os ensinamentos cristãos dos primeiros séculos.

“Quando li os Padres da Igreja, foi então que os sacramentos começaram a ter significado e comecei a ver como a Eucaristia era central para a Igreja primitiva. Se a Eucaristia foi ordenada por Cristo, quero receber o Senhor”, expressou.

Junto com sua esposa Teresa, começaram a ler constantemente sobre o catolicismo, até que se deram conta de que se seguissem nesse caminho, “era iminente” que perderiam o trabalho e a casa.

“Mas, acabamos falando noites após noites sobre os Padres, os sacramentos, a Igreja primitiva e tudo mais”, disse Mangels.

Em julho de 2016, começou a ensinar a sua congregação sobre a Igreja primitiva, passando por São Policarpo, São Justino Mártir, a Didaqué e outras partes do cristianismo primitivo. Para vários jovens da congregação, essas lições permitiu que discernissem a se unir à Igreja Católica.

“Adorava pastorear, adorava as pregações. Eu estava pregando reuniões de campo e avivamentos, mas eu era católico no meu coração”, assegurou Mangels.

Em setembro, disse a sua congregação que renunciaria como pastor e entraria no catecumenato da Igreja Católica com sua família.

Embora a família Mangels tivesse decidido se converter ao catolicismo, não havia decido por onde começar. Entretanto, o organizador de um evento pró-vida do qual participaram sugeriu que falassem com o Pe. Bob Rankin, pároco da Igreja Católica Bizantina de Santa Melânia.

“Tentava lhe ensinar como se converter em católico, mas o primeiro sacerdote que conhece não pertence ao rito romano. Utilizei pacotes de açúcar sobre a mesa para explicar a teologia dogmática e a eclesiologia”, disse o sacerdote ao Register.

Pe. Rankin explicou que, apesar das diferenças superficiais entre um estilo de culto pentecostal e a Divina Liturgia, “eles chegaram à igreja correta pelo tipo de espiritualidade que tinham”.

“Vêm desse fundo pentecostal, assim têm essa experiência de conversão e de dar suas vidas a Cristo. Eles queriam uma liturgia demonstrativa e a liturgia oriental é enérgica, de adoração: é chamado a experimentar Deus, é destinado a romper em lágrimas”, acrescentou.

Por sua parte, Teresa Mangels assegurou ter tido uma experiência similar e se sentir empolgada e feliz porque Cristo lhes “deu seu verdadeiro Corpo e Sangue”.

Finalmente, Pe. Rankin assegurou que os novos catecúmenos trouxeram “um admirável zelo apostólico” à Igreja.




Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/um-pastor-protestante-sua-familia-e-alguns-seguidores-se-convertem-ao-catolicismo-25300